Uma das grandes promessas da tecnologia blockchain é sua habilidade de verificar as transações através de consenso, de forma imperceptível ao usuário. Os chamados contratos inteligentes permitem e podem transformar muitas indústrias, substituindo os tradicionais acordos legais ou contratos digitais automatizados. Esse consenso no blockchain significa que transações não podem ser de qualquer forma alteradas ou modificadas. Entretanto, blockchains individuais não podem se comunicar com os protocolos de outros blockchains.

Uma das soluções para esse impasse é chamada (o oráculo), ou um serviço que facilita as comunicações entre blockchains. Enquanto esses serviços centralizados funcionam, eles vão contra o propósito da descentralização. Pelo fato dos oráculos serem centralizados, eles são tão seguros quanto os acordos digitais tradicionais, mas não mais. A necessidade do método de descentralização para que os contratos inteligentes formem um consenso entre diferentes blockchains, é um problema que as indústrias fintech estão tentando resolver.

CHAINLINK

A ChainLink, criada em junho de 2017, pela empresa SmartContract, situada em São Francisco, busca conectar contratos inteligentes entre as diferentes blockchains, permitindo que acessem recursos que estejam fora do blockchain, como fluxos de dado, APIs web e pagamentos tradicionais por meio de bancos. Desenvolvedores de contratos inteligentes descrevem a ChainLink como uma interface intermediária de segurança. Os mesmos acreditam que a tecnologia irá substituir os serviços centralizados que permitem que os blockchains se comuniquem entre si.

SMART CONTRACTS

Os contratos inteligentes surgiram no início dos anos 90 para melhorar a funcionalidade dos contratos tradicionais. Apesar da lei governar os contratos, eles ainda são passíveis de alteração. Os criadores ou partes privilegiadas geralmente perdem, alteram ou destroem os documentos. Enquanto isso, contratos inteligentes previnem qualquer dessas alterações através de um código criptográfico. De acordo com o whitepaper da ChainLink, “eles vinculam todas as partes a um acordo, conforme foi escrito.”

“[Os Contratos inteligentes] criaram uma nova e poderosa relação que não depende de confiança. Pelo fato de serem auto-verificáveis e autoexecutáveis, oferecem um veículo superior para administrar e executar acordos digitais.”

Enquanto a tecnologia cria as poderosas chamadas relações sem a necessidade de confiança, o sistema também apresenta desvantagens. Por exemplo, contratos inteligentes são incapazes de interagir com recursos externos como os fluxos de dados, APIs, ou sistemas de bancos tradicionais.

ORÁCULOS

Os oráculos são serviços descentralizados que permitem que dados sejam enviados entre diferentes blockchains. Contudo, a ChainLink propõe uma rede segura para o oráculo, que é uma tecnologia baseada em blockchain totalmente descentralizada, permitindo a conectividade entre os contratos inteligentes e recursos externos. Como os oráculos são serviços terceirizados com um ponto de controle centralizado, não sendo parte do mecanismo de consenso do blockchain, os problemas que podem surgir relacionados aos contratos inteligentes, ocorrem quando os dados recebidos de um oráculo são confiáveis ou não. Como os contratos inteligentes podem ser autoexecutáveis, é essencial que os oráculos forneçam informações precisas e confiáveis.

Os desenvolvedores da ChainLink pretendem facilitar a interoperabilidade entre os blockchains. A rede ChainLink e seus criadores afirmam que permitirão a quem possuir um fluxo de dados, ou qualquer outro API,  que os forneçam diretamente para os contratos inteligentes, em troca de tokens Changelink. Eles sugerem que essa infraestrutura descentralizada permita que dados de pagamento e APIs  fora do blockchain sejam enviados a um contrato inteligente de forma escalada, segura e auditável.

COMO FUNCIONA A CHAINLINK?

O objetivo chave da ChainLink é ligar ecossistemas dentro e fora do blockchain, assim sendo, possui dois componentes principais de arquitetura: infraestruturas dentro e fora do blockchain.

O primeiro componente da ChainLink consiste em contratos executados no blockchain, implementados no blockchain do Ethereum. Esses oráculos processam as solicitações de dados dos usuários. Se o usuário desejar acessar dados fora do blockchain, ele envia um contrato de usuário (ou solicita um contrato) à rede ChainLink, onde as solicitações serão processadas pelos blockchains em seus próprios contratos. Esses contratos serão, então, associados aos contratos apropriados nos oráculos.

Um contrato de reputação checa o histórico de um fornecedor de oráculo para verificar sua integridade. Um contrato que corresponde ao pedido, insere o acordo de serviço do contrato do usuário na rede, recolhendo ofertas dos oráculos provedores responsáveis. Então, os contratos de agregação acumulam os dados  coletivos dos oráculos escolhidos e os compara para decidir qual o mais apropriado a ser usado. Com esses contratos, as funções da ChainLink obedecem a um processo de três etapas.

A SELEÇÃO DOS ORÁCULOS

Quando um contrato solicitado é enviado, o usuário especifica uma série de parâmetros e exigências para a busca de dados, serviço conhecido como acordo de nível de serviço (SLA). Esses acordos podem ser incluídos na reputação, especificações de dados, quantidade de dados/oráculos necessários e assim sucessivamente. Os usuários podem filtrar e manualmente buscar por oráculos utilizando a ChainLink. Algumas vezes, quando uma busca manual não é uma opção, um motor de combinação automatizado será disponibilizado. Para esta opção, os oráculos podem ofertar baseados nas SLAs (acordos de nível de serviço). Os contratos possuem a opção de implementação de taxa de penalização por mal comportamento, e uma vez que um contrato recebe ofertas suficientes de qualidade, esses oráculos são selecionados e os o contrato de serviço é iniciado.

NODES FORA DO BLOCKCHAIN

O segundo componente da ChainLink consiste em oráculos fora do blockchain, que são conectados a rede Ethereum. Atualmente, a ChainLink interage apenas com contratos inteligentes conectados à rede Ethereum, porém no futuro, o programa será mais flexível.

Os nós fora do blockchain coletam recursos também de fora do blockchain, conforme são solicitados pelos contratos dos usuários. Após receberem os dados relevantes, esses nós processam dados através da ChainLink Core, o software principal para essa finalidade, que permitem que infraestrutura fora do blockchain interajam com o blockchain da ChainLink. Quando os dados são processados, a ChainLink Core os transmite para o contrato de oráculo no blockchain para a combinação de resultados. Em compensação por esse trabalho, operadores de oráculos fora do blockchain são pagos em LINK, os tokens da ChainLink, por coleta e envio de dados.

OPERADORES DE NÓS

Além de executar essa função crucial, os nós fora do blockchain também permitem que os desenvolvedores integrem adaptadores externos. Embora não seja um paralelo perfeito, os adaptadores externos são para a ChainLink o que as aplicações descentralizadas são para a rede Ethereum. Esses adaptadores são plugins que operadores de nós podem utilizar para acomodar um número de programas em sua base de operações. Além disso, ele pode executar subtarefas que simplificam o processo de coleta de dados.

FONTES DISTRIBUÍDAS E ORÁCULOS DISTRIBUÍDOS

Incluímos essa sessão devido ao fato de que esses dois conceitos são importantes para entender como a ChainLink se destaca de outros protocolos de oráculos.

Na realidade, esse sistema distribuído em dois níveis, mantém os oráculos honestos, conforme cada grupo de dados é agregado e comparados entre si. Oráculos que “não se comportam” e alteram dos dados sofrem penalidades e prejudicam sua reputação na rede ChainLink.

AS OPERAÇÕES NA CHAINLINK

A ChainLink esteve adormecida até recentemente. Sua ICO saindo apenas no final de 2017, cresceu para um pico de U$0,47, mas só manteve um suporte entre U$0,14-0.18 até Dezembro.

Após um pico em Dezembro de 2017, momento que estamos escrevendo essa publicação, ChainLink está cotada em U$0.44, apresentando queda de 15.16% nas últimas vinte e quatro horas.

ONDE ARMAZENAR SEU CHAINLINK

Desenvolvida no Ethereum, a ChainLink é uma moeda ERC20, compatível com carteiras Ethereum como My Ether Wallet e Ledger Nano S.

Geralmente, a falta geral de marketing no projeto, além de atualizações concretas, frustrou membros da comunidade no passado. Sergey Nazarov, o diretor do projeto, é conhecido por ser uma presença tranquila da comunidade, o que favorece o trabalho de bastidores na ChainLink.

CONCLUSÃO

Se a tecnologia blockchain realmente pretende alcançar uma adoção generalizada,  necessita de oráculos como a ChainLink. Como está no momento, a ChainLink é um dos poucos provedores de oráculos no mercado. A companhia afirma que eles estão “pressentindo” uma extrema necessidade por parte da indústria. Por enquanto, é o único provedor de oráculo verdadeiramente descentralizado, e para oráculos operarem em segurança com os protocolos blockchain que servem, a descentralização é um aspecto necessário.